Urano em Taurus, e os Mil Sacrifícios de Ashwamedha

ASTROLOGIA ESPIRITUAL
8 Novembro, 2017
Marte Retrógrado 2018
11 Junho, 2018
Mostrar tudo

Urano em Taurus, e os Mil Sacrifícios de Ashwamedha

A influência de Urano por cada Signo dura aproximadamente 7 anos. Em Maio de 2018, sai de Aries e entra nos domínios de Vénus, em Taurus. Portanto, na próxima década será influente nos graus do signo mais terroso do Zodíaco.

Se acompanhou os meus artigos de Abril e Maio, desde que o Sol ingressou no signo de Taurus, tenho abordado a importância das Faces ou Decanatos, que são 3. Os primeiros 20º de Taurus enaltecem a busca por poder, dinheiro e as fórmulas de multiplicação de recursos. Em síntese, a necessidade do indivíduo possuir recursos e materiais necessários para arquitectar os domínios à sua volt a. Daí estes graus possuírem uma forte componente agrícola e da ideia de trabalhar as terras e a fertilidade dessas, em que o perfeito arquétipo desta influência seria um Arado.

A meio de Taurus, entre os 20º e os 30º o tipo de expressão mantém-se, mas o indivíduo torna-se mais indeciso do que fazer com os seus recursos, e dá por si em caminhos bifurcados e incerto dos resultados que almeja. Então, toma consciência de tudo o que possui, e das suas aptidões, no sentido de projectar-se da melhor forma para conseguir o estado desejado. No entanto, nem todos têm sucesso por falta de recursos e outros dominam através do seu espíritos industrioso e persistente. Ele penetra profundamente nos planos físicos e materiais, e abstém-se de uma realidade mais espiritual.

Até 2026, Urano irá trabalhar os planos físicos e materiais, no mais terroso dos Signos.

Em primeiro lugar, é Vénus quem rege tudo o que acontece nestes domínios, portanto tal influência uraniana irá testar o tipo de idealização que temos sobre a nossa identidade e do que achamos que deveríamos mudar para melhor: mudar o look, fazer cirurgias plásticas, moldar o corpo.

Provocará uma espécie de redefinação dos padrões de beleza, mas ao mesmo tempo, trará à tona aquilo que mais odiámos e criticámos visceralmente.

O consumismo será frenético e exagerado nos próximos anos, porque haverá um maior impulso de ‘TER’ e de não ‘SER’. Seremos ainda mais Teres-Humanos do que já fomos alguma fez, e tal atitude pode levar a um maior desgaste de recursos que alguma vez se notou. Visto que caminhámos num período em que a tecnologia está cada vez mais interligada com a nossa evolução, poderemos assistir a um avanço no transhumanismo, e ser possível alterar a nossa condição humana através de tecnologias e intervenções de biohacking: como o uso de Smart pills ou Smart Drugs, o aparecimentos dos primeiros laboratórios de biohacking e de edição de DNA, e também do Neurohacking (já usado para fins militares, mas muito recente).

Estas novas funcionalidades, vão certamente alternar as perspectivas que temos sobre as nossas vidas e os nossos estilos de vida a uma escala global. O indivíduo terá a oportunidade de aperfeiçoar e potenciar habilidades e aptidões na sua experiência física com os elementos e matéria.

Contudo, reveler-se-á uma nova guerra por recursos naturais e de prospecção de novos materiais. E se o homem age como um cancro, neste planeta, os Elementos e a própria Natureza irá buscar certamente um ponto de equilíbrio para manter a estabilidade do seu ecossistema. O nosso desenfreado consumismo não acompanha os ritmos naturais da multiplicação de recursos, portanto a escassez e a esterilidade de alimentos e outros bens essenciais poderá ser uma realidade dos nossos dias, e estes passarem a ser controlados de forma mais restrita.

Com Urano em Touro, os ‘Titãs’ e as ‘Titãnides’ despertarão e podemos também assistir a uma maior número de desastres naturais, e mais intensificados em prol de um equilíbrio natural, que não nos inclui. Lutámos por poder e por recursos, e os Elemenos lutarão por equilíbrio natural.

A nível pessoal, e astrologicamente falando, a Casa de Touro será fortemente abanada, cada vez que Planetas se aproximem de Urano no seu percurso demorado. Dependendo, da conjuntura astrológica subjacente à Casa e ao Regente da Casa que é Vénus (que poderá entender de forma aprofundada numa Consulta de Astrologia), a influência uraniana servirá como um indicador de imprevisibilidade e de ruptura de determinados padrões que teimámos em seguir e alimentar. Incidirá principalmente sobre as esferas sociais, sobre as nossas acções no plano físico e material, e sobre o aspecto da nossa imagem. Se a Terra treme, também abanará a nossa realidade e os nossos fluxos de pensamento, metafisicamente e espiritualmente falando.

Partilhas