2017 – Análise astrológica

Retrogradação de Mercúrio
15 Janeiro, 2017
As 12 Casas Astrológicas
15 Janeiro, 2017
Mostrar tudo

2017 – Análise astrológica

Com os dois pés em 2017, este é o momento perfeito para ver as influências astrológicas que estão reservadas para todo o ano. Caso seja praticante, estudante ou apenas gosta de saber mais sobre Astrologia, certamente, este pequeno ‘almanaque’ será útil para si.

 

Considere este artigo uma análise geral às configurações astrológicas de 2017. Certas configurações, podem reflectir eventos mundanos que podem ter impacto a nível global, nacional ou numa base mais individual, distintamente para cada pessoa. No caso de querer compreender melhor a dinâmica astrológica que está marcada para este ano relativamente ao seu mapa natal, considere o agendamento de consulta para um melhor aprofundamento.

 

 

Sobre Saturno

O Grande Maléfico estará até 20 de Dezembro/17 no signo de Sagitário, assim como esteve parte do ano de 2015 e todo o ano de 2016. Será uma espécie de continuação da sua ‘promessa’ em Sagitário. Desde o seu ingresso neste signo, tenho referido o impacto deste planeta pela sua natureza maléfica, reflectida nos meios de aviação, transportes de grandes dimensões (comboios, metros, navios), nas relações diplomáticas entre as potências mundiais e organizações de grande escala, na questão da imigração pelo resultado das guerras e pelo combate ao terrorismo e da instabilidade dos ‘pilares’ da sociedade, como a religião, política, economia e educação. Enquanto o seu dispositor (Júpiter), estiver na área de Balança, desafios nas áreas diplomáticas, políticas e governamentais serão mais evidentes, até que um equilíbrio seja mantido entre as alianças formadas com toda esta tensão global.

  • A fase de Retrogradação de Saturno será entre 6 de Abril (27˚de Sagitário) a 24 de Agosto (21˚ de Sagitário);
  • Ingresso de Saturno em Capricórnio a 20 de Dezembro de 2017;

 

Sobre Júpiter

O Grande Benéfico continuará presente no signo de Balança até 9 de Outubro. Até essa data, estará sob a influência de Vénus (regente de Balança), que se encontra neste momento bastante exaltada no signo de Peixes.

Considere todo o mês de Janeiro positivo, Júpiter apoia os assuntos da Casa de Balança. Favorece os contractos, a compra de objectos requintados, esteticamente bonitos e agradáveis, favorece também os relacionamentos e amizades. Posteriormente a Janeiro, avista-se um período desafiador tanto para Júpiter como para Vénus até à primeira semana de Junho de 2017. Irá reflectir-se principalmente no contexto de relacionamentos, será um período de triagem, de equilíbrio de polaridades, mas para isso acontecer será preciso experimentar os opostos. Poderá notar-se uma subida de violência entre casais, processos de divórcio complicados e falhas de diplomacia e em negociações de acordos. A entrada de Vénus em Carneiro dificultará a acção de Júpiter e pode-se experimentar alguns efeitos secundários da sua má condição, e isso será reflectido nos assuntos das casas de Balança e Touro. A proposta de ‘expansão’ de Júpiter em Balança terá de romper com todas as limitações, e poderá notar-se algumas situações menos boas no seio das relações amorosas, como familiares ou profissionais. Irá reflectir-se também nas abordagens diplomáticas, principalmente nos países sob tensão devido a questões políticas, económicas e culturais. Notou-se recentemente, um certo atrito entre os EUA/Rússia com a campanha das presidenciais americanas, e com isso vários países foram arrastados para o mesmo tabuleiro. Várias acusações e acções estão a ser executadas por causa desse mau ambiente. Isto prova o ambiente tenso que está a ser vivido de momento, e que poderá repercutir-se ao longo do ano.

  • A fase de Retrogradação de Júpiter será entre 6 de Fevereiro (23˚ de Balança) e 8 de Junho (13˚ de Balança);
  • Ingresso de Júpiter em Escorpião a 10 de Outubro de 2017;

 

Sobre Marte

Considerado como o Pequeno Maléfico, este planeta estará em ‘movimento cruzeiro’ durante todo ano. Não aponta nenhuma fase de retrogradação para 2017, então o seu movimento será directo e estável. A sua acção será mediada até Escorpião, agindo como gatilho de situações intensas e desafiadoras de Carneiro a Escorpião. Brasas quentes serão deixadas ao longo da sua ‘maratona’ e terá uma função importante no grande eclipse de Agosto que ocorrerá no coração da América.

A acção de Marte será mais notável nos períodos da sua passagem em Carneiro e Escorpião, ora entre 28 de Janeiro a 10 de Março, e entre 9 de Dezembro até Janeiro de 2018. Essas fases conferem períodos extremamente dinâmicos e activos, de acções rápidas e de curta duração. O ‘calor exalado’ de Marte irá propagar-se para outros Signos e Casas durante o resto do ano, mas de forma menos intensa dos períodos supramencionados. Pois o fogo tem ritmo, espalha as suas labaredas consome tudo o que toca, de forma rápida. É o elemento da inspiração, mas também da cólera, e não tem propriamente um estado de matéria constante, é moldável à substância que consome. Ora em Signos de Fogo o calor de Marte será intenso, em signos de Ar, será mediano, em Terra, terá fraco impacto, e nos de Água esfuma-se e resfria, torna-se mais passivo em termos de acção, deixando-se à mercê do planeta que rege o signo da sua posição.

 

Sobre Vénus

Considerado o Pequeno Benéfico, planeta do Amor estará extremamente honrada e dignificada até à primeira semana de Fevereiro. Percorrerá todo o Signo de Peixes, signo da sua Exaltação favorecendo os assuntos regidos por ela. Ao longo deste período que considero de extrema importância para assuntos venusianos, ambos Vénus e Júpiter, apoiam-se mutuamente e com grande alegria. Isto significa que nas Casas de Balança e Peixes, todos os assuntos estão por assim dizer abençoados por esta bela parceria, reina a harmonia e a estabilidade emocional, a busca por divertimento e prazer é maior e mostra também tendência para esbanjamento de recursos ou dinheiros, o contacto social é feito com mais êxtase e alegria, quase diria um verdadeiro mar de rosas, contudo não se deixe iludir demasiado por este período afortunado.

Da mesma forma que referi no tópico de Júpiter, posterior a Janeiro avista-se uma fase desfavorável até Junho de 2017. O meu conselho é que aproveite este período para celebrar de forma moderada e com sobriedade, estabeleça parcerias nesta altura, se possível, seja qual for a sua natureza, e aproveite para fazer os devidos investimentos, caso esteja num período de ‘remodelação’. Os meses Junho e Outubro também são considerados períodos de alegria e felicidade para assuntos de Vénus.

  • A fase de Retrogradação de Vénus ocorrerá entre 4 de Março (13˚ de Carneiro) e 14 de Abril (26˚ de Peixes).

 

 Sobre Mercúrio

Nem Maléfico, nem Benéfico, este é o Planeta Camaleão, aquele que se adapta à natureza de cada um dos outros planetas. Se aspectado por Saturno, Marte ou caso esteja perto do Sol torna-se maléfico. Se aspectado por Júpiter, Vénus ou Lua torna-se benéfico. O planeta da Comunicação e do Conhecimento, terá 3 fases de Retrogradação este ano. Acontece com mais frequência do que os outros pela sua rapidez de movimento. Os signos de Gémeos e Virgem garantem uma boa promessa para Mercúrio em 2017, Peixes e Sagitário nem tanto.

O planeta é conhecido por reger signos humanos (Gémeos e Virgem), e é também um dos regentes da triplicidade de Ar (Gémeos, Balança e Aquário), tudo signos humanos. Os signos humanos estão associados com a forma humana e com as formas de comunicação, diz respeito à natureza do ser humano e à sua forma de interacção uns com outros, seja através do Verbo, do Gesto ou da Partilha. Mercúrio é a representação dos elos que une uns e outros, numa grande rede colectiva onde rola toda a informação existente do passado, presente e futuro. A mente é aquela que descodifica todos os sinais, então considera-se que Mercúrio um dos significadores do tipo de Mente, seja racional, ou sensorial. A condição de Mercúrio é reflectida em todas as formas de comunicação mundanas, daí os períodos de retrogradação de Mercúrio serem bastante famosos pela perda de objectos, sabotagem de aparelhos electrónicos e digitais, falhas na passagem de informação, problemas com transportes, tudo o que dita a comunicação… como se houvesse um erro na ‘matrix’, um erro de programação desta realidade.

Considere Junho, Agosto e Setembro como períodos favoráveis. Favorece tudo o que diga respeito ao ensino, lançamentos de produtos, assinaturas de contractos, investimentos de valores consideráveis e resolução de conflitos e litígios.

As fases de Retrogradação de Mercúrio em 2017 são:

  1. De 11 de Abril (4˚ de Touro) até 2 de Maio (28˚ de Sagitário);
  2. De 14 de Agosto (11˚ de Virgem) até 4 de Setembro (28˚ de Leão);
  3. De 4 de Dezembro (29˚de Sagitário) até 22 de Dezembro (13˚ de Sagitário);

 

Urano, Neptuno e Plutão, entre a Luz e a Sombra

Quando o assunto engloba a dinâmica destes 3 planetas, não há ‘refúgio’ que nos proteja. Todas as configurações envolvendo estes indicadores, marcaram eventos que influenciaram gerações, e prometam períodos revolucionários e fenómenos sociais imprevisíveis. Desde 2010 que começaram umas séries de quadraturas entre Urano e Plutão que coincidiram com uma série de acontecimentos de grande magnitude, como a Primavera Árabe, a Ocupação de Wall Street e o crescimento da Irmandade Muçulmana, conhecida como “Muslim Brotherhood”, que actualmente tem várias facetas.
Os últimos três meses de 2016 foram acompanhados pelo aspecto por ‘antiscion’ entre Saturno de Sagitário e Plutão de Capricórnio. Esta configuração reflectiu-se numa série de invasões, ataques terroristas e polémicas nas eleições das presidenciais americanas. Ainda se sentem danos colaterais devido a isso, nota-se uma persistente ‘demonização’ da Rússia, os efeitos do Brexit que abanaram os pilares financeiros da Europa e trouxe o medo de um mandato ‘Trumpista’. Além disso, a Europa viu chegar uma onda de Imigração provocada pela mão de grupos muçulmanos, grupos esses que ganharam poder e influência desde o início do ciclo de quadraturas Urano-Plutão, fez ver uma nova ameaça dos domínios árabes.
Saturno e Neptuno também apontam acontecimentos importantes para 2017, demonstrados pela tensão existente ao longo do ano em Signos discordantes, uma promessa que fora iniciado desde o início de 2016. Novos sistemas de entretenimento foram lançados, como o jogo Pokémon GO! e os óculos VR, trazendo novas ideias e reformulando a indústria dos jogos. Fez ver uma série de acontecimentos políticos inesperados, com o caso do Presidente Filipino Filipe Rodrigo Duterte criando polémica com o assassinato de milhares de traficantes de droga e pelos insultos ameaçadores às políticas americanas e ao Papa. A inesperada vitória de Trump que deixou a América e o resto do Mundo surpreso. E a morte de milhares de refugiados em mar alto que tentavam alcançar uma nova vida, um novo paradigma, decepcionados pela guerra.
As fronteiras geográficas e culturais da Europa têm agora de lidar com esta questão, que mexe com todas as esferas políticas, diplomáticas e internacionais. Deste modo, e conta como opinião pessoal, prevejo um 2017 politicamente e financeiramente caracterizado por reacções conservadoras e autoritárias dos globalistas.
Será o início de uma nova ordem de princípios de Comunismo, ou o início de uma nova ordem baseada em princípios de Neoliberalismo com trejeitos de tirania de direita?

 

Sobre os Eclipses

26 de Fevereiro – Eclipse Solar Anular

 

Em qualquer Eclipse, é necessário considerar a força do Planeta Regente, porque tais assuntos regidos por tal planeta serão enaltecidos e terão mais impacto. No Eclipse Solar Anular de 26 de Fevereiro, Júpiter será o Regente do Eclipse, pois este evento ocorrerá no Signo de Piscis (Peixes) a 8˚ na primeira Face de Peixes.

Do ponto de vista tradicional e seguindo alguns registos medievais, este Eclipse terá mais ênfase em Calábria (Sicília), Portugal, Normandia, Norte de Egipto, Alexandria, Rhemes, Wormes, Ratisbona e Compostela. No entanto, os efeitos deste Eclipse serão direccionados para as zonas do mapa afectadas pelo evento.

Tendo em conta as dignidades essenciais e acidentais de Júpiter, no sentido de avaliar a sua força, observa-se que: está posicionado na Casa IV (angular); posicionado em Balança, sendo Regente Participante da Triplicidade de Ar; Fora de Sect; Retrógrado; Oposição a Marte; Recepção Mútua com aspecto a Saturno; Conjunção a Foramen, Spica e Arcturus;

Portanto, Júpiter está fortíssimo acidentalmente na Casa IV e fortalecido essencialmente. Considera-se uma condição muito positiva para Júpiter tendo em conta o Eclipse. Contudo, o Eclipse Solar acontecerá junto à Cauda do Dragão que é de natureza particularmente maléfica, e confere esterilidade, instabilidade e diminuição de abundância de recursos.

Dentro da configuração do Eclipse observa-se Neptuno, Lua, Sol, Cauda do Dragão e Mercúrio dentro dos domínios de Peixes e que influenciarão este Eclipse, principalmente na primeira Face de Peixes (associada a Saturno). Girolamo Cardano afirma que, Eclipses que acontecem em Signos de Água conferem excesso de águas e chuvas nas zonas afectadas, o que pode indicar, chuvas torrenciais, cheias ou até algum vazamento de água ou outros líquidos, como derrames de crude ou outras substâncias nocivas e prejudiciais ao ambiente. Confere também problemas e casualidades provocadas por água, como a drenagem de rios, escassez de peixe nas costas ou peixe infectado.

Marte ameaça o Regente do Eclipse, o que pode indicar caos, confusão, violência e conflitos gerados por eventos accionados pelo Eclipse, de natureza social e diplomática, por causa de águas ou pela divisão territorial de águas, ou por outro tipo de líquidos, químicos e material radioactivo.

No caso de Portugal, este Eclipse terá especial incidência sobre a Casa VIII, que representa a presença de Portugal nos Mercados Financeiros, os dinheiros das taxas, os débitos existentes, neste caso as acções da Segurança Social, o estatuto financeiro e a reputação, e as relações financeiras com outros países. Portanto, terá impacto especialmente sobre a situação financeira do governo de Portugal, que tem a ver com as receitas geradas. Pode significar uma calamidade financeira, acções judiciais sobre entidades e indivíduos que estejam ligados às práticas financeiras, e um controlo intenso sobre os mercados paralelos aplicando-se medidas mais rígidas sobre actividades ilícitas. Seja como for, confere alguma instabilidade nessa área, visto a configuração envolvente do Eclipse, mas há a promessa de melhorias de forma gradual com o avançar do tempo.

 

Considere este Eclipse de extrema importância se no mapa natal observar os seguintes detalhes:

  • Sol ou Lua, ou outro planeta estiver posicionado a 8˚ de Peixes ou a 8˚ de Virgem;
  • Se coincidir com o Ascendente, Meio do Céu, Fundo do Céu ou Descendente a 8˚ de Peixes;
  • Se o regente do Ascendente estiver em aspecto com o regente do Eclipse;
  • As pessoas que tenham Piscis (Peixes) ou Virgo (Virgem) como Ascendente na Revolução Solar de 2017/2018, poderão sentir a influência deste eclipse, assim como, se coincidir com algum ponto importante da sua Revolução Solar ou Mapa Natal;

     

 

21 de Agosto – Eclipse Solar Total

 

 

O regente deste Eclipse será Sol. Terá especial importância e consideração nos países e cidades do domínio de Leão, sendo Itália, Alpes, Turquia, Sicília, Apúlia, Roma, Siracusa, Cremona, Ravena, Damasco, Praga, Lintz, Bristol, segundo escritos de William Lilly. Mas, os seus efeitos serão maioritariamente sentidos nas zonas abrangidas pelo Eclipse como pode ver no mapa. Considere este Eclipse de extrema importância se no mapa natal observar os seguintes detalhes:

  • Sol ou Lua, ou outro planeta estiver posicionado a 29˚ de Leão ou a 29˚ de Aquário;
  • Se coincidir com o Ascendente, Meio do Céu, Fundo do Céu ou Descendente a 29˚ de Leão;
  • Se o regente do Ascendente estiver em aspecto com o regente do Eclipse;

As pessoas que tenham Leão ou Aquário como Ascendente na Revolução Solar de 2017/2018, poderão sentir a influência deste eclipse, assim como, se coincidir com algum ponto importante da sua Revolução Solar.

Numa fase anterior ao Eclipse, será informado sobre os seus efeitos com maior aprofundamento.

 

Sobre a Grande Revolução Solar

Grande Revolução Solar em Portugal 2017

 

No ingresso do Sol em Carneiro, ascendem os 19˚ de Gémeos. Este signo marca a durabilidade dos efeitos apenas para o primeiro quarto do ano (Primavera). Ou seja, para analisar o resto do ano para Portugal é preciso ter em consideração o ingresso do Sol da mesma forma em Caranguejo (quarto de Verão), Balança (quarto de Outono) e em Capricórnio (quarto de Inverno).

Considera-se a Sol, o Regente do Ano 2017/2018 para Portugal.

No mapa acima considera-se que Saturno é o Significador do Chefe da Nação, pois é considerado regente da Casa X e o Almutem da Casa X, está livre de aflições, angular, apresenta um sextil à Casa X e é um dos regentes da triplicidade de Fogo (Sagitário).

Considera-se Mercúrio o Significador do Povo da Nação, assim como a Lua como Significador Natural. Mas Mercúrio em primeiro lugar.

Considera-se Júpiter o Significador dos Inimigos do Povo da Nação e da condição do Chefe da Nação. E Vénus, os Inimigos Privados e Ocultos da Nação. Ambos representam Inimigos de uma forma hostil.

Lua é o Significador da Riqueza da Nação e a Assistências das Pessoas. E Júpiter o Significador da Riqueza do Chefe da Nação e da sua Assistência.

Tendo em conta que o mapa apenas tem validade até ao Ingresso do Sol em Caranguejo (21 de Junho), pode-se considerar que o Chefe da Nação e toda a força política e administrativa de Portugal agirá de forma autoritária, relutante e obediente, mesmo sabendo das expectativas inquestionáveis da população. Está prometido algumas restrições sobre as massas por meios estratégicos, com o objectivo de encaixar mais dinheiro nos cofres do estado. Chefe de Estado, e toda a hierarquia sob o seu comando, estão na Casa das Parcerias (VII). Demonstra que existe um compromisso forte com entidades exteriores ao estado, existem obrigações que estão associadas a acordos de teor financeiro, religioso e político. Provavelmente terá impacto sobre a Riqueza da Nação e em causa medidas devem ser tomadas para mitigar qualquer forma de prejuízo.

Relativamente ao Povo da Nação, este é significado por Mercúrio e encontra-se na Casa da Riqueza do Chefe da Nação e da sua Assistência. Mercúrio está peregrino e sujeito à condição de Marte. Marte está em péssimo estado e essencialmente fraco. Além do mais Mercúrio está junto de Vénus, que por si só tem condição de Maléfico. Ora esta dinâmica demonstra confusão, decepção e medos do Povo, em relação aos serviços oferecidos pelo Estado e pelas acções da força política pertencentes à assistência do Chefe de Estado. A conjunção de Mercúrio e Vénus pode significar que os Inimigos Secretos e Ocultos do Estado são provenientes do Povo e podem agir de forma hostil e agressiva contra as instituições do Estado. Promete uma onda de Manifestações entre o período de Março e Junho.

Tendo em conta os Opositores ou os Inimigos Declarados, estes são significados por Júpiter que se encontra na Casa V e está retrógrado. Com Sagitário na cúspide da Casa 7, considera-se que os Opositores são provenientes do Exterior da Nação e que de certa forma estão associados com as Parcerias da Nação. Viste que a área da Casa VII engloba o Chefe de Estado e a Riqueza da Nação, estes podem ser ameaçados pelos Inimigos Declarados, devido a falhas diplomáticas, devido a falhas de burocracias, devido a injustiças e por desrespeito de princípios éticos e morais demonstrado pelas Parcerias da Nação. Da mesma forma a Nação e a sua Riqueza pode estar sujeita a danos colaterais por práticas extremistas e autoritárias por parte de outros países, que afectam a Nação e as suas estruturas pelos acordos e compromissos envolvidos com essas.

No geral, a Nação irá enfrentar desafios de teor financeiro e que implicará a tomada de decisões mais rígidas, contribuindo para um clima de tristeza e melancolia vivido pelo Povo. Contudo o povo estará mais consciente da natureza e das acções políticas e governamentais, podendo agir de forma implacável contra essas até que se chegue a um acordo entre Povo, Chefe de Estado e sua Assistência.

 

Algumas considerações e tendências, segundo as configurações astrológicas do Ano de 2017:

  •  O abuso, exploração e tráfico de crianças, assim como outro tipo de abusos será mais notado nos media.
  • Novos avanços nas aéreas cientificas, principalmente aquelas associadas com a farmacologia e biologia;
  • As forças políticas serão orientadas para a luta da imigração, principalmente no palco europeu e americano, em causa das acções realizados durante Júpiter em Balança, pelas constantes invasões;
  • Assuntos como corrupção, ilícitos e abuso de poder serão tornados públicos e terão impacto sobre as hierarquias mais altas do sistema político e religioso;
  • As potenciais mundiais continuarão a reforçar a sua capacidade militar e o seu armamento bélico, como meio de intimidação;
  • Haverá maior intrigas, acusações, ataques terroristas e movimentos ardilosos por parte de nações mais corruptas e escrupulosas, como meio de reforçar a segurança e garantir o controlo das massas;
  • Novas descobertas arqueológicas, revelando traços de civilizações antigas e de matéria-prima;
  • Ataques terroristas e tensão entre potências intensificam-se a partir de Fevereiro podendo culminar em mais cenários sangrentos na Europa;
  • Confere instabilidade política e financeira, pelo resultado de decisões feitas nos últimos três meses de 2016. O mês de Fevereiro será desfavorável para qualquer investimento, e demonstra desafios e volatilidade nos mercados financeiros;
  • Kiev (Ucrânia), Síria, Irão, Europa e América mostram bastante tensão para 2017;
  • O Eclipse Solar Solar de 21 de Agosto terá um impacto enorme sobre a América, apontando eventos de grandes dimensões e desestabilizadores;

 

Partilhas